A VOZ NA TELEVISÃO E NO RÁDIO

TEXTO ESCRITO PELO FONOAUDIÓLOGO E ESPECIALISTA EM VOZ ADEMIR G. BAENA (GENTILMENTE ENVIADO POR ELE AO BLOG DO SEMINÁRIO DE ORATÓRIA)*

 

610x4092Segundo definição do Segundo Consenso Nacional sobre Voz Profissional, em 2002, Voz Profissional é a forma de comunicação oral utilizado por indivíduos que dela dependem para sua atuação profissional.

A habilidade de comunicação interpessoal é extremamente exigida no ambiente profissional, muitas vezes perdemos oportunidades preciosas de relacionamento, de progresso em nosso trabalho, por usar uma voz que não corresponde ao que queremos dizer.

Há várias classificações para os chamados profissionais da voz, de acordo com critérios distintos.

Uma classificação sugerida é de acordo com a demanda vocal e o impacto da DISFONIA (Distúrbio vocal) na carreira. Assim repórteres, apresentadores e locutores fazem parte desta classificação.

Eduardo Costa em entrevista com Patrus na Rádio Itatiaia

Eduardo Costa em entrevista com Patrus na Rádio Itatiaia

Apesar da utilização vocal no rádio e na televisão constituir pouco tempo, o nível de exigência a respeito da qualidade é muito alto. Além disso, a proporção das reportagens, os contatos para as entrevistas e a apuração das noticias exigem grande demanda vocal. Quando se associa essa grande demanda ao alto nível de exigência em relação á qualidade vocal, observa-se que o fator quantidade associado ao fator qualidade, insere esses profissionais em um grupo de risco para o desenvolvimento de uma DISFONIA, portanto esta é uma classe que deve ter preocupação com o seu Instrumento de Trabalho, que é a sua voz.

Por si só, esse fato justifica a necessidade de acompanhamento fonoaudiológico a esse grupo de profissionais. È de suma importância que se estabeleça através de estratégias um programa de Saúde Vocal, orientando-os a utilizar sua voz de maneira correta, sem sobrecarga e sem esforço, garantindo a resistência vocal para dar conta da alta demanda com conforto, evitando desta forma, o desgaste profissional, a fadiga vocal e, em muitas situações o aparecimento de patologias em Pregas Vocais, que poderá até comprometer a vida social e, acima de tudo a carreira profissional.

Outro aspecto fundamental refere-se à expressividade, esta é uma condição da comunicação em que o profissional consegue obter atenção do ouvinte e do telespectador, transmitir sua mensagem de forma clara e atraente, com credibilidade e energia, para tanto, é necessário uma voz bem impostada e uma articulação precisa.

arq_165626 (1)Isto é fundamental para quem depende da boa audiência, considerando que a televisão e o rádio competem com vários outros estímulos da vida moderna, além da facilidade cada vez maior de “mudar de canal” pelo uso do controle remoto e da grande oferta de atrações.

O trabalho com os recursos vocais assume importante papel nos dois veículos, porem, no rádio sua utilização é mais intensa, pois no radio toda a carga expressiva da comunicação se concentra na VOZ, enquanto na televisão a presença da imagem faz dedicar atenção à expressão corporal, considerando a face, a postura, os gestos. Tanto no rádio (apesar de não aparecer) como na televisão, o corpo tem grande importância para a mensagem chegar de maneira correta para os espectadores, e o profissional deve ter essa consciência.

A postura corporal deve ser confortável e ereta; a expressão facial deve estar de acordo com a mensagem, e os gestos devem acompanhar naturalmente a fala, de maneira harmônica e complementar.

RTEmagicC_Locutor_de_radio_txdam93513_d9f73b.jpgA Voz é o meio essencial de alcançar o outro, e o instrumento de trabalho de muitos profissionais, portanto é importante conhecê-la, a voz é a extensão mais forte de nossa personalidade, revela nossos sentimentos, revela a saúde, revela o que somos e o que pensamos, aprender cuidar da voz, ter uma saúde vocal, é fundamental para quem quer alcançar o sucesso.

 

* AS INFORMAÇÕES APRESENTADAS NESTE TEXTO SÃO DE RESPONSABILIDADE DO AUTOR. TEXTO ENVIADO AO SEMINÁRIO DE ORATÓRIA EM 06/11/2015.

.

Anúncios

A FALA E A VOZ

TEXTO ESCRITO PELO FONOAUDIÓLOGO E ESPECIALISTA EM VOZ ADEMIR G. BAENA (GENTILMENTE ENVIADO POR ELE AO BLOG DO SEMINÁRIO DE ORATÓRIA)*

A linguagem oral é um dos mais importantes veículos de ideias, sensações e pensamentos.

Através deste ‘mecanismo complexo‘ que é a fala, nós podemos nos comunicar, participar ativamente de uma sociedade, divulgar o que aprendemos, enfim, sermos útil.

Quando esta mesma fala tem objetivos mais específicos, ao ser usado em meios profissionais, como dela faz uso o advogado, professores, radialistas, políticos, executivos, atores, cantores, etc, quando o objetivo é transmitir mensagens, difundir idéias, ela torna-se ainda mais importante; a voz e a fala têm um papel fundamental: o de ser instrumento de trabalho.

Todos dependemos de uma fala com boa articulação, inteligível, de uma voz clara, para que possamos alcançar nossos objetivos.

Manter uma boa voz e uma fala adequada requer alguns cuidados em relação aos nossos órgãos vocais, na verdade, o homem não possui um aparelho especifico para a fonação, fazemos uso de órgãos que compõem outros sistemas para falar, como a laringe, pregas vocais (cuja função primária é proteger o aparelho respiratório inferior), dentes, língua, lábios, palato, tais componentes merecem melhor atenção, pois a função fonatória é uma função superposta.

É importante, na oportunidade, diferenciar voz e fala; VOZ é o resultado da passagem do ar expelido pelos pulmões através da laringe, que encontrando resistência para sua passagem pelas Cordas Vocais, fazem-na vibrar, transformando-se em energia sonora. A voz é considerada uma tradução da personalidade humana, um símbolo que repreenta e apresenta o individuo ao mundo por meio de sons. “É uma “carteira de identidade” ou o equivalente à” impressão digital, é um “segundo rosto”, posto que é única e, portanto singular. Através dela, as pessoas demonstram quem são, o que sentem e como enxergam o mundo. Na voz, é possível detectar as sombras e a luminosidade de cada um. Ela é, igualmente, uma arma de extremo poder nos processos comunicativos.

Em virtude disso, pode-se dizer que se trata de um dos instrumentos de alcance maiservas-e-frutas-para-tratar-a-dor-de-garganta1
eficaz nas comunicações humanas, associado à linguagem silenciosa do corpo (gestos, expressão facial, postura). É preciso ter cuidado para não a desperdiçar, uma vez que, a qualquer deslize em sua emissão, as pessoas podem perceber alguma característica negativa do interlocutor, sendo que uma das mais notadas é a falta de persuasão, convicção em relação ao que se fala. Conhecer a própria voz é como conhecer um pouco da própria alma, é inteligente, conhece a si próprio. A VOZ desnuda as angústias, sonhos, alegrias, revela a saúde, nosso estado emocional, revela nossas intenções.

Ela imprime publicamente uma parte de nosso território de características individuais. Aquele que buscam o autoconhecimento tem, na voz que os integram ao mundo, uma ferramenta especial que mostras traços importantes do seu ser, a VOZ no apresenta e nos representa.

Fala, é a articulação deste som, modulando e diferenciando esta voz em fonemas (vogais e consoantes).

Existem alguns fatores que podem interferir de modo negativo para uma expressão perfeita, e que uma vez detectados, analisados, poderão ser corrigidos ou aperfeiçoados.

A voz pode apresentar problemas em relação ao seu alcance, clareza, impostação, comprometendo a mensagem. É muito importante que a voz seja ouvida com clareza, que seja agradável a quem está ouvindo e sem esforço e bem impostada para que esta falando, sendo que algumas alterações podem prejudicar severamente a comunicação e seria também uma barreira para nosso crescimento social, pessoal e, sobretudo profissional.

O trabalho do fonoaudiólogo, aqui, visa impostar a voz, corrigir os defeitos e encontrar o tom ideal, para que o indivíduo tenha o máximo rendimento vocal com o mínimo esforço.
A Fala pode ser prejudicada por alguns fatores. Os mais comuns são os problemas de articulação.

Ocorre quando o indivíduo fala interpondo a língua entre os dentes ou ainda articulando erroneamente outros fonemas, trocando, omitindo ou distorcendo, comprometendo desta forma a inteligibilidade da fala.

A velocidade também é muito importante. Falar rápido demais torna a fala ininteligível, falar devagar não prende a atenção do ouvinte. Em ambos os casos a mensagem não é transmitida adequadamente.

A gagueira é outro aspecto da fala que pode dificultar a comunicação.

Portanto, FALA E VOZ não se pode separar, uma boa fala e uma voz bem impostada, são as chaves do sucesso.

chave-sucesso-corretor-imoveis

* AS INFORMAÇÕES APRESENTADAS NESTE TEXTO SÃO DE RESPONSABILIDADE DO AUTOR. TEXTO ENVIADO AO SEMINÁRIO DE ORATÓRIA EM 06/11/2015.

Ademir Garcia Baena apóia o Seminário de Oratória

Olha quem começou a contribuir com o Seminário de Oratória!

unnamedA partir desta semana começaremos a veicular textos produzidos e gentilmente enviados a nós pelo fonoaudiólogo Ademir Garcia Baena.

Ademir é professor de Voz na Mídia (Rádio e TV) do Curso de Jornalismo da Centro Universitário da Grande Dourados-MS (Unigran) e graduado em Fonoaudiologia pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Paraná. É especialista em Fonoaudiologia Clínica pelo Centro de Especialização em Fonoaudiologia Clínica (CEFAC).

Na mesma instituição se tornou especialista em Voz e fez aperfeiçoamento em Distúrbios de Aprendizagem e Dislexia. Tem estágio em voz na Universidade Estadual do Arizona – Tempe (EUA), no Centro de Voz da Universidade de Medicina de Pittisburgh (EUA), na Universidade British Columbia – Vancouver (Canadá) e no Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital Santa Maria/Faculdade de Medicina de Lisboa.

Acompanhe os textos enviados por ele e postados por nós sempre às segundas-feiras.

VOZ, INSTRUMENTO DE TRABALHO

Texto escrito pelo fonoaudiólogo e especialista em voz Ademir G. Baena (gentilmente enviado por ele ao blog do Seminário de Oratória)*

 

A voz é uma das extensões mais fortes da nossa personalidade, é uma expressão emotiva, sonorizada, transporta nossas ideias e emoções.

Todo o nosso estado emotivo, seja a tristeza ou euforia, se reflete na voz, ela é um som fundamental, altamente pessoal, é a nossa impressão digital, nos identifica quanto à nossa idade, sexo, nível cultural, características de personalidade, origem racial e biótipo.

A voz parece sustentar a linguagem falada. Desde a vocalização emocional primitiva que pode colorir, enriquecer o que dizemos, até o hábil uso da ênfase da voz para colocar em destaque uma elocução particular, o componente de vocalização da língua falada desempenha um papel fundamental. Nem sempre o que dizemos é o que transmite a mensagem, mas o modo como dizemos.

Considerando o importante papel da voz tanto na expressão emocional como na lingüistica, pois comunicar emoções é um dos eventos mais importantes do ser humano, a base de nossa sobrevivência psicológica e social, toda alteração de voz é vivida com muita ansiedade e angústia.

cuidar-voz

A voz ou vocalização é o resultado da passagem do ar expelido pelos pulmões através da laringe, que encontrando resistência para sua passagem entre as Cordas Vocais aproximadas fazem-na vibrar transformando-se em energia sonora.

A fonação é uma função que depende de uma sincenergia muscular, além da integridade dos órgãos que compõem o aparelho fonador. Quando existe essa harmonia produzimos um som de boa qualidade, voz clara, “colorida “, sem esforço, dificuldade ou desconforto, à esta condição chamamos de EUFONIA. Quando não há esta interelação harmoniosa, quando há alteração das características normais da voz, estamos diante de uma DISFONIA.

A Disfonia seria, portanto, um distúrbio de comunicação, é um impedimento na emissão vocal das características naturais e normais da voz, é aquela voz produzida com esforço, cansaço, rouquidão, falta de projeção, “falha da voz “, entre outras.

voz-professor

Geralmente os indivíduos acometidos com maior frequência de uma Disfonia, são os professores, parlamentares, advogados, cantores, atores, etc, enfim aqueles profissionais que usam a voz como instrumento de trabalho.

O abuso e mau uso vocal podem contribuir para problemas vocais. O uso da voz em caráter profissional, sem o necessário preparo especifico, pode sobrecarregar o aparelho fonador e gerar inadaptações que se refletem numa Disfonia.

O indivíduo portador de uma alteração da voz, devido a influência das emoções na voz ou expressa uma dificuldade de inter-relacionamento, ou acaba por gerar uma comunicação insatisfatória.

Os sintomas mais comuns de uma Disfonia são: rouquidão, estando geralmente associada à fadiga vocal,, ardência, “queimação “, “coceira “, sensação de corpo estranho na “garganta “, “falhas na voz “, etc.

Aos primeiros sintomas procure o médico Otorrinolaringologista ou o Fonoaudiólogo, é importante e necessária uma avaliação.

Uma voz bem impostada, produzida adequadamente, sem esforço, clara, é a chave do sucesso.

* As informações apresentadas neste texto são de responsabilidade do autor. Texto enviado ao Seminário de Oratória em 06/11/2015.